INSTITUTO FRANCO-PORTUGUÊS - LISBOA – FABIANNY DESCHAMPS E OLIVIER PERRIQUET > 6 / 31 - JULHO - 2010

Desde 2005 que a Bienal internacional de Arte Contemporânea do Porto Santo apresenta trabalhos de criadores de todos os campos artísticos. Cada edição resulta de um processo criativo desenvolvido através de eventos e de exposições pontuais no Porto Santo e em várias localidades de Portugal, mas também cada vez mais através de uma dinâmica internacional. A próxima edição de 2011 terá como tema: “Homo Virtualis”.

 

 

Fabianny Deschamps

Nascida em 1975, fabianny Deschamps é cenógrafa e realizadora, dedicando-se também ao teatro e às artes plásticas. Prepara actualmente a sua primeira longa-metragem.

 

Apresentação da instalação “Infâncias Perdidas” de Fabianny Deschamps:

ENFANCES PERDUES / INFÂNCIAS PERDIDAS – instalação participativa.
Uma exumação desse corpo imaterial com o qual nós coabitamos, que aflora sem cessar contra a nossa vontade, contra nós, marca dos nossos impulsos, das nossas anulações, das nossas resistências, da nossa identidade.

 

Filmes de Fabianny Deschamps:

EN MON SEIN
Ficção - 17'46'' - 35mm / cor – 2003

Hermeline, uma adolescente fogosa, passa as suas férias à beira mar, em casa da sua avó Elise, uma sexagenária doente de uma beleza vivaça mas seca. A bela casa de família abriga os embates apaixonados de Hermeline com o seu amante de 35 anos, Luca. Elise vai se posicionar como espectadora desta aventura estival com o acordo implícito da sua neta que, aureolada da graça e da volúpia da sua juventude, oferecendo-lhe uma visão sublimada dela mesma como a incarnação do luto impossível da feminilidade.

 

LE GRAND BASSIN
Ficção - 28' - 35mm / cor - 2005

Lucille, 11 anos, vive numa piscina da qual os seus pais são os encarregados. Este estranho lugar assemelha-se a um disco voador, faz emergir nela uma angústia irrepreensível e obscura. O objecto não identificado da sua perturbação vai-se revelar ainda mais obsidiante que os terrores da infância.

 

LA LISIÈRE
Ficção – 18’ – cor – 2009

Nós estamos no terreno vago de um fantasma. Aqui e em mais nenhum lugar, eu peço àqueles que amo, os meus amigos, a minha família que me ofereçam uma extremidade dos seus corpos.

 

 

Olivier Perriquet

Olivier Perriquet é investigador científico e artista. As suas procuras visuais experimentais no domínio do cinema expansivo e do vídeo, acompanham um trabalho teórico sobre a possibilidade de combinar o método de visão científica com uma aproximação artística.
Site web: http://cesium-133.net

 

Trabalhos apresentados no IFP por Olivier Perriquet:

OCÉANIDES – instalação vídeo

Banhado por uma claridade absoluta, o olho tenta distinguir uma forma, o ouvido procura um ponto de ancoragem, o corpo inteiro prepara-se par uma sinfonia que vai ter lugar.

 

VOLATILES (VOADORES VOLÁTEIS) – instalação visual

Série de retratos realizados com o auxílio de um sistema de “motion capture”, onde os modelos são traduzidos por um puro movimento, o gesto é a única identidade de quem o realizou.

 

PRELUDE À TRANSFORMATION NATURELLE - instalação vídeo

Este trabalho em vídeo é uma reflexão sobre a linguagem e sobre as relações do que tem a ver com um pensamento bruto. Os constrangimentos de linguagem foram propostas dos teóricos, que se entregam ao exercício habitual de apresentar o seu trabalho de investigação.

 

RECOMBINANT LANDSCAPE - instalação vídeo

Duas paisagens oferecem-se simultaneamente à contemplação. O público faz a sua aquisição combinando-as mentalmente, após descobrir de seguida uma relação visual que as fundem num única paisagem